O que é Monero?

Conheça a criptomoeda Monero
Conheça a criptomoeda Monero

Está procurando uma criptomoeda que preze pela privacidade e que permita transações anônimas não-rastreáveis? Então conheça a criptomoeda Monero, que é o tema deste artigo pelo qual explicaremos como essa criptomoeda surgiu e seu funcionamento.

Como você se sentiria se alguém fosse autorizado a espiar sua conta bancária e verificar quanto dinheiro você tinha? E se pudessem ver quantas transações você fez ontem e para quem?

Eu me sentiria muito inseguro se tal coisa acontecesse comigo!!

E aposto que você sentiria o mesmo. A privacidade das transações financeiras é uma das coisas mais procuradas. Mas, na realidade, estamos sempre sendo vigiados por bancos ou instituições antes e depois de nossas transações. Eles conhecem detalhes de nossas contas bancárias, sabem cada centavo que você transaciona e onde você geralmente gasta seu dinheiro.

Você pode pensar que criptomoedas como a bitcoin fornecem uma solução para isso. Mas não realmente; transações na blockchain são registradas abertamente para todos visualizarem.

O mundo das criptomoedas é diverso e está se tornando cada vez mais diversificado a cada dia. Fora dessas vastas opções de criptos, a Monero é uma das criptomoedas mais exclusivas e diferentes disponíveis.

Sua Origem

Originalmente lançado em abril de 2014 como BitMonero, Monero (XMR), significa dinheiro em esperanto. Monero, é um fork da Bytecoin, é uma moeda segura, privada e não rastreável, construída sobre o protocolo Cryptonote e Ring Signatures.

Monero e sua comunidade estão comprometidos com três valores-chave: (1) Segurança, (2) Privacidade e (3) Descentralização.

O site oficial da Monero elabora ainda mais:

Segurança

Os usuários devem poder confiar no Monero suas transações, sem risco de erro ou ataque hacker.

Privacidade

O Monero leva a privacidade a sério, protegendo seus usuários.

Descentralização

A Monero está empenhada em fornecer o máximo de descentralização.

O principal caso de uso por trás do Monero é como as transações não são vinculáveis ​​ou rastreáveis. Ele tem um limite de bloco que permite flexibilidade no gerenciamento de dados (tamanhos de bloco) e escalabilidade. A arquitetura do Monero requer muito mais criptografia e dados sobre transações.

Ele também tem transparência seletiva que permite aos usuários tornar certas transações visíveis, se desejado. (Por exemplo, um auditor ou outra parte para provar a transação)

Detalhes técnicos

  • Lançado: 14 de abril de 2014
  • Fornecimento total de moedas: inicialmente 18,4 milhões de moedas (após isso, haverá uma produção fixa permanente de 0,3 XMR por minuto para equilibrar as moedas perdidas por ano)
  • Algoritmo: Proof of Work (PoW) usando CryptoNight
  • Recompensa bloco: variado
  • Tempo para liberar a transação: 120 segundos
  • Dificuldade: Retargets em cada bloco

Ricardo “Fluffy Pony” Spagni, criador do Monero
Ricardo “Fluffy Pony” Spagni, criador do Monero

Funcionamento da Ring Signatures

Ring Signatures foram inventadas por Ron Rivest, Adi Shamir e Yael Tauman , e introduzidas em 2001.

São assinaturas digitais que podem ser realizadas por qualquer membro do grupo ou usuário, e todas as assinaturas são potenciais e elegíveis. Uma Ring Signatures é, por padrão, aplicável no blockchain e permite a mistura de transações.

Isso significa que quando o dinheiro é enviado, ele é enviado como um grupo de transações assinadas aleatoriamente pelo mesmo valor. E fora disso, apenas um é o remetente real, embora todos possam ser elegíveis para enviar.

Qualquer transação recebida está chegando como um grupo de transações e tem muitos remetentes possíveis, e cada remetente tem a mesma chance de ser o verdadeiro remetente.

Isso faz do Monero a melhor escolha para manter a privacidade de um remetente.

Endereço furtivo

Endereços furtivos cuidam da privacidade do destinatário. Não permitem que terceiros vejam quaisquer transações feitas dentro e fora desse endereço no blockchain. Para facilitar a compreensão, considere seu endereço secreto como o número da sua conta bancária.

No sistema bancário tradicional, mesmo que você forneça o número da sua conta a alguém, ele não poderá ver suas transações, identificar seu saldo nem descobrir seus hábitos. Endereços invisíveis garantem o mesmo nível de privacidade transacional no Monero.

Quando uma transação é feita no blockchain Monero, ela não lista o endereço público do receptor no blockchain. Em vez disso, cria um novo endereço de destino único que não está vinculado ao endereço público de um destinatário.

A matemática criptográfica irreversível garante essa desvinculação entre os endereços público e invisível. O receptor só pode escanear o blockchain para esses endereços secretos únicos e verificar seus fundos.

Monero vs. Bitcoin

Monero é uma criptomoeda como bitcoin, mas ao contrário dele, não tem um suprimento finito. Além disso, ele não é rastreável e se concentra nos aspectos de privacidade das criptomoedas. Monero não usa nenhum registro ou servidor para armazenar histórico transacional.

É por isso que é uma escolha óbvia de usuários “darknet” . Também resolve problemas de escalabilidade, anonimato e fornecimento constante.

Essas características únicas fazem do Monero um dos mais lucrativos e valiosos investimentos em criptomoedas. Eu sei que o bitcoin está aproveitando a vantagem do pioneiro com o maior valor de mercado atualmente, mas outros criptos como o Monero não estão muito atrás.

Críticas, Fraquezas e Preocupações

Embora pareça que o Monero tenha muitos elogios, quais são alguns dos seus pontos fracos? Mesmo com todas as vantagens já descritas, existem algumas preocupações:

  • Privacidade - Há a capacidade de rastrear o endereço IP do nó que originou uma transação. Esse registro de endereços IP pode causar conflitos de usuários.
  • Centralização de Mineração - A maioria da mineração é composta por quatro grupos, cada um com no máximo 20% da capacidade. Além disso, o advento da mineração ASIC (Application Specific Integrated Circuit) Monero ameaça ainda mais o espírito original de “um-CPU-um-voto”. Foi descoberto recentemente que os ASICs estavam sendo fabricados, o que levou a uma batalha no algoritmo do Crypto Miner para preservar a descentralização.
  • Darkweb - Embora esta não seja uma causa direta da equipe do Monero, vale a pena notar que a marca e a percepção do público são sempre algo para se ter em mente e podem retardar a adoção, já que as pessoas temem seu uso para fins ilícitos, pelo fato da privacidade.
  • Tamanho da transação - as transações do Monero são muito maiores do que as do Bitcoin, o que requer mais dados e faz com que um blockchain maior cresça continuamente.
  • Dificuldade de desenvolvimento - A capacidade de incorporar com wallets de criptomoedas múltiplas e outras integrações que tornariam o uso mais difundido tem sido lenta.
  • Ferramentas para pagamentos - As ferramentas para os comerciantes integrarem os pagamentos são difíceis e complicadas de integrar neste momento. No entanto, há mais e mais serviços de terceiros surgindo para ajudar a resolver isso.

Preço

Em seu início em 2014, e durante todo esse ano, o monero teve muitas oscilações até chegar ao final de 2016, ano que seu preço começou a subir regularmente. Em junho do ano de sua criação sua cotação era por volta de R$ 5,00 e, no momento que este artigo foi escrito sua cotação está em R$ 478,78. Com a mostra nosso marketcap sua colocação no ranking de croptomoedas é o 15º lugar:

Marketcap das criptomoedas
Marketcap das criptomoedas

O que acha do Monero? Já comprou essa criptomoeda? Compartilhe suas opiniões em nossos de comentários abaixo!

Fonte:

Data: | Autor: Willian BrunoTags: Criptomoedas

Compartilhe este artigo


Compre bitcoin na Changelly