O que acontecerá quando não houver bitcoins para minerar?

Mineração de Bitcoin
Mineração de Bitcoin

O universo cripto atingiu um marco histórico em abril de 2018, quando 17 milhões de bitcoins foram minerados. Sabendo que o limite de mineração é de 21 milhões de bitcoins, vamos explicar o que pode acontecer quando a mineração dessa criptomoeda chegar ao seu limite.

O protocolo blockchain do bitcoin dificulta a mineração à medida que mais pessoas começam a mineira-lo e a recompensa pela mineração de um bloco também reduz para metade a cada 210 mil blocos. No momento atual, os mineradores recebem uma recompensa de 12,5 BTC para desbloquear um novo bloco. De acordo com o BitcoinBlockHalf.com, a próxima recompensa será dividida pela metade em maio de 2020, reduzindo a recompensa para 6,25 moedas.

Supondo que não haja mudanças no protocolo, o limite de bitcoins será atingido em 2140, daqui a 122 anos. No entanto, levamos apenas 9 anos para extrair 80% do total de bitcoins que estão disponíveis em pouco mais de 520.000 blocos, como mostra o gráfico abaixo:

Bitcoins em circulação
Bitcoins em circulação

O que acontece quando nós minerarmos o último Bitcoin?

Quando chegar o dia em que o limite de 21 milhões for atingido, não haverá mais recompensas de bitcoin para os mineradores. No entanto, as transações ainda precisam ser validadas e armazenadas em blocos no blockchain, assim, os mineradores só se beneficiarão das taxas de transação.

Do modo atual, as transações de bitcoin são processadas pela rede por ordem da taxa de transação. Quanto mais alta a taxa, mais incentivo haverá para um minerador priorizar sua inclusão em um bloco. Isso pode essencialmente ser a força vital dos mineradores no próximo século, uma vez que não haverá mais recompensas com bitcoins. Isso é apresentado no Whitepaper Bitcoin de Satoshi Nakamoto :

"Uma vez que um número predeterminado de moedas tenha entrado em circulação, o incentivo será inteiramente com as taxas de transação, para ser completamente livre de inflação".

O que poderia acontecer nesse meio tempo?

Um ponto importante a ser considerado aqui é que faltam mais de 100 anos para a criação do último bitcoin. Considerando que faz apenas 10 anos desde o início dele, muita coisa poderia acontecer durante esse período. Principalmente as melhorias que listamos abaixo.

Segwit

No principio, Nakamoto implementou um limite de tamanho de 1MB, limitadas a 3-7 transações por segundo e emitidos de 10 em 10 minutos. Isso para impedir que mineradores produzissem blocos maiores que provavelmente seriam rejeitados pela rede, o que poderia ter causado a divisão da blockchain.

Na época, o limite era mais do que suficiente devido à pequena quantidade de transações e ao fato de que uma mudança poderia ser implementada em um estágio posterior, se necessário.

No entanto, preocupações que foram levantadas acabaram sendo percebidas com o bitcoin ganhando popularidade. Os desenvolvedores do Bitcoin Core acabaram descobrindo uma solução conhecida como Segregated Witnesses, ou apenas Segwit.

Na teoria o Segwit separa os dados que não são assinados dos que são de cada transação, reduzindo muito o tamanho das transações armazenadas em um bloco. Além disso, ele cancela a flexibilidade da transação, removendo assinaturas de dados transacionados, o que abre o caminho para a integração da Lightning network, que falaremos abaixo.

O Segwit foi finalmente implementado em agosto de 2017, com as principais partes interessadas dos maiores grupos de mineração e empresas de bitcoin (exchanges e wallets), pressionando por uma solução para as altas taxas de transações causadas pelo aumento da popularidade, devido ao limite de tamanho de bloco.

Mudanças no protocolo

A implementação do Segwit tem sido lenta em toda a rede desde agosto de 2017. Grandes exchanges como a Coinbase e a Bitfinex apresentaram a mudança somente em fevereiro de 2018.

O lançamento coincidiu com a redução das taxas de transação, uma evidência do resultado pretendido da integração com o Segwit. Como mostra o gráfico a seguir, as taxas de transação caíram consideravelmente nos últimos meses, à medida que o Segwit continua a ser implementados em todo o mundo.

Total de taxas de transações
Total de taxas de transações

Lightning network

A implementação do SegWit também lançou as bases para soluções de segunda camada para melhorar ainda mais a rede do bitcoin. O mais esperado é o Lightning Network, que essencialmente fará o que o SegWit fez, mas em uma escala maior

Em termos leigos, a Lightning network permitirá que os usuários abram vários canais de pagamento entre si na blockchain do bitcoin. O canal será aberto e registrado na blockchain, mas as transações serão feitas fora da cadeia até que o canal de pagamento seja fechado.

O que importa aqui é que essa solução de segunda camada aumentará muito a velocidade das transações e, portanto, a rede como um todo.

No entanto, isso coloca algumas questões interessantes para os mineradores no futuro. Uma vez que todos os 21 milhões de Bitcoins tenham sido extraídos, as taxas de transação serão o único incentivo para os mineradores. Se a Lightning network estiver totalmente integrada neste momento, poderá haver muito menos transações sendo registradas diariamente. Isso pode afetar potencialmente a quantidade de dinheiro que as mineradoras farão com as transações.

No entanto, daqui a 100 anos, parece provável que todos esses problemas tenham sido respondidos pelos desenvolvedores do bitcoin e pela comunidade mais ampla de criptomoedas.

Fonte: CoinTelegraph

Data: | Autor: Willian BrunoTags: Bitcoin

Compartilhe este artigo