10 Mandamentos para Investidores de Criptomoedas

Conheça os 10 Mandamentos
Conheça os 10 Mandamentos

Você vai investir, ou já investiu em bitcoin ou outras criptomoedas, mas não sabe o que fazer a seguir? Assim como os 10 Mandamentos fornecem algumas orientações para sua vida diária, há mandamentos para o investimento em criptomoedas. Conheça os 10 Mandamentos das criptomoedas, projetados para ajudá-lo a investir com sabedoria e segurança.

1. Você não deve investir mais do que você possa perder

Investir em criptomoedas não é para os fracos de coração. É um mercado global, não regulamentado e altamente volátil. Tão rapidamente quanto os preços sobem, eles podem cair, às vezes até mais rápido do que o normal. Antes de investir, considere que seu investimento pode cair 50% ou mais. Se o pensamento de perder essa porcentagem do seu portfólio ou mais, o deixa nervoso, então você deve reconsiderar seu investimento e investir apenas o que pode perder.

2. Você fará sua própria pesquisa

Não há escassez de especialistas autoproclamados no mundo das criptomoedas. E quando você é um novato, todo mundo parece ter mais conhecimento do que você. É importante que você use medidas objetivas para determinar o valor e a viabilidade de um projeto antes de investir. Abaixo estão alguns dos passos para investigar uma criptomoeda:

  • Leia os whitepapers e roteiros Você pode encontrar o whitepaper e o roteiro no site do projeto. O whitepaper descreverá o propósito da criptomoeda, o problema a ser resolvido ou o mercado que ele precisa atender. Tente descobrir em que datas o projeto atenderá aos seus marcos e que tipo de progresso eles já fizeram.

  • Confira a equipe do projeto Qual experiência eles trazem para o projeto? O que eles fizeram no passado? Eles têm experiência com criptomoedas ou tecnologia blockchain? Você pode encontrá-los no Linkedin?

  • Olhe para as suas parcerias O projeto tem parcerias estratégicas? Essas parcerias estimularão a adoção? Alguns projetos como Ethereum e VEN têm uma lista substancial de parcerias com governos e empresas globais estabelecidas.

  • Avaliar o caso de uso da moeda Qual problema a criptomoeda está tentando resolver? É algo que uma pessoa leiga vai usar e entender? Ela é projetada para resolver problemas que outras moedas não resolveram, ou está fazendo algo melhor?

  • Avalie a economia da moeda Qual é a capitalização de mercado? Qual é a oferta total e a oferta circulante?

3. Tu nunca darás a ninguém as suas chaves privadas

Uma chave privada é uma forma sofisticada de criptografia que permite ao usuário acessar sua criptomoeda. É um elemento integrante da moeda, projetado para ajudar a proteger um usuário contra roubo e acesso não autorizado de fundos. Se essa informação for compartilhada com alguém, ela terá acesso à sua criptomoeda. Em essência, compartilhar as chaves privadas seria o mesmo que compartilhar seu cartão de crédito e a senha.

4. Tu manterás as tuas chaves privadas seguras e protegidas

Como é impossível acessar seus fundos sem as chaves privadas, é imprescindível mantê-las em um local seguro. Se você perder suas chaves privadas, não poderá retirar, gastar ou transferir suas criptomoedas. Escolha uma carteira segura para armazenar suas chaves privadas e criptomoedas. Em seguida, faça uma cópia de backup de sua chave e mantenha-a em um local separado. Nesse post aqui falamos mais sobre segurança com criptomoedas.

5. Você deve armazenar suas criptomoedas em sua própria carteira

Carteiras de criptomoedas usam programas de software que armazenam suas chaves públicas e privadas e fazem interface com o blockchain dessas moedas. Isso permite que você envie e receba criptomoedas e monitore seu saldo. Quando você deixa suas moedas em uma exchange, como Foxbit e BitcoinTrade, a exchange mantém a chave privada e, se essa empresa for hackeada, seus ativos seriam perdidos para sempre. Armazená-los em sua própria carteira, garante que você tenha controle da chave privada.

6. Você deve usar autenticação de dois fatores

Sua criptomoeda é um ativo digital, o que significa que é vulnerável a hackers e vírus. Quando você usa uma exchange será obrigado a criar uma conta, com um login e senha. A maioria das exchanges fornecerá a opção de adicionar uma camada adicional de segurança, por meio do uso da autenticação de dois fatores.

A autenticação de dois fatores (2FA) requer duas maneiras de provar sua identidade. Depois de digitar sua senha, você será solicitado a inserir o código fornecido pelo aplicativo autenticador, como o Google Authenticator ou Authy. Sempre que você fizer login na sua conta, você receberá um novo código.

7. Você deve manter um computador livre de vírus

Uma das coisas mais importantes sobre segurança para quem está no universo bitcoin, é manter seu computador livre de vírus, pois é o lugar por onde você opera e transaciona suas criptomoedas. Recomendamos que seu antivírus esteja sempre atualizado, além dos outros softwares que aumentem a segurança de seu sistema, e faça varreduras regularmente Assim que for copiar e colar o endereço de uma wallet, cheque se o endereço é o correto, pois existem muitos malwares que trocam o endereço sem o usuário perceber. Sempre tome cuidado para não baixar conteúdo pirata, pois há uma grande chance de conter vírus, e sempre se atentar com os sites maliciosos ( ͡° ͜ʖ ͡°).

8. Você deve verificar todos os detalhes antes de executar uma transação

Endereços na blockchain são uma longa sequência de letras e números. Se você digitar errado o endereço, poderá enviar seus fundos para o endereço errado, resultando em uma perda permanente. Verifique, verifique novamente e verifique sempre todos os endereços antes de executar qualquer transação. Sua melhor aposta é copiar e colar o endereço, ou usar o código QR para evitar digitar o endereço errado.

9. Você deve resistir à compra no "FOMO" ou à venda em pânico

O universo das criptomoedas é novo e excitante, mas inerentemente arriscado. Pode ser um terreno fértil para golpes e outros comportamentos antiéticos. Porque há uma abundância de novidades, investimentos, diferentes moedas e ICOs. Nas mídias sociais é fácil sentir que você vai perder a próxima grande coisa se não investir imediatamente. Esse sentimento é chamado de "FOMO" ou "medo de perder". Sua estratégia de negociação, seja comprar ou vender, não deve ser motivada pelo medo ou pela ganância. Nas palavras de Warren Buffett: "Tenha medo quando os outros são gananciosos e gananciosos quando os outros estão com medo".

10. Você deve entender capitalização de mercado

A capitalização de mercado, conhecida como valor de mercado, é determinada pelo preço da moeda/token, multiplicado pelo total da oferta circulante. É o valor total em dólar de todas as moedas em circulação. É importante avaliar o valor de mercado de uma criptomoeda para determinar seu potencial de crescimento. Por exemplo, se você tem uma moeda estabelecida que vale 5 dólares e tem 100 milhões de moedas em circulação, a capitalização de mercado seria de 500 milhões de dólares (5x100.000.000). Quando o volume de capitalização de uma criptomoeda começa a crescer, quer dizer que o preço tende a subir, pois a demanda está aumentando. A propósito, temos uma ferramenta focada em apresentar como anda a capitalização das criptomoedas.

Conclusão

Sua abordagem para investir em criptomoeda deve ser semelhante a investir em imóveis ou no mercado de ações. Você quer ter um plano sólido para atingir seus objetivos e proteger seu investimento. Esses mandamentos ajudarão você a ter sucesso em fazer as duas coisas.

Aviso importante

Este artigo foi escrito com o melhor do nosso conhecimento com as informações disponíveis para nós. Não garantimos que todas as informações sejam completamente precisas ou atualizadas. Por favor, use estas informações como um complemento à sua própria pesquisa e estudo. Nada do que escrevemos em nenhum dos nossos artigos pretende ser um conselho de investimento nem um endosso para comprar, vender ou guardar nada. Os investimentos em criptomoeda são inerentemente arriscados, portanto você nunca deve investir mais do que pode perder.

Fonte: Bitcoin for beginners

Data: | Autor: Willian BrunoTags: Bitcoin, Criptomoedas

Compartilhe este artigo